Ana Maria – a trajetória de Felipe

Meu nome é Ana Maria sou mãe de Felipe, 18 anos de idade.

Ana Maria _ FelipeMeu filho frequentou uma escola particular na idade pré-escolar dos 2 aos 6 anos, então decidi colocar ele no Colégio Gastão Vidigal. Começou aí a nossa saga, de uma criança tranquila passou a ser agressivo, brigava, batia, ao contrário de seus amiguinhos de sala ele não estava alfabetizado, isso o deixava agressivo, então mais uma vez fui chamada a escola pois meu filho agrediu o Diretor e o motivo foi que ele tinha pego uma bola que o Felipe levou para a escola.

O diretor me orientou a procurar um neurologista, foi um choque! Passamos a verificar o que poderia estar acontecendo com aquele menino querido, amoroso, bondoso. Fomos ao neurologista, e não deu em nada, mas, meu filho continuava dando problemas.

FelipeA pedagoga sugeriu que eu fosse  procurar a Elizabeth Bassin, então foi diagnósticado  com  dislexia, síndrome de irlen e TDAH.

Choramos juntos. Sofremos. Eu amava quando as férias chegavam, meu menino não estaria sofrendo.

Quanta dor ver um menino lindo que sabia conversar se expressar, inteligente, fugindo da escolinha da igreja, deixando de participar de um grupo de desbravadores (tipo escoteiros) pois lá tinha que ler, e me dizia: – mãe eu já sofro a semana toda, eu não vou sofrer domingo.

Durante o tratamento ele melhorou muito, fez terapia, fono, atendimento com a Beth e hoje meu filho é um homem e quer fazer faculdade.

Usa os recursos sugeridos pela equipe que o avaliou, tem respaldo, os professores sabem de suas limitações e seus amigos de sala o ajudam e tem muito carinho e respeito por ele.

Sou grata pelo trabalho que a Clínica Integrada Crescer fez com ele. Temos um só objetivo fazer de nossos filhos pessoas bem sucedidas, em todos os aspectos.

Anúncios