Gabriel depois de sete meses de uso dos óculos Irlen

Meu nome é Silvia Casa Grande Macedo e sou mãe do Gabriel – hoje com 10anos e 6 meses).

Silvia e familiaSei que estou sendo muito chata por ultimamente só falar sobre a Síndrome de Irlen, mas não me canso e não cansarei de contar a história da mudança de nossas vidas.

Desde o diagnóstico fiquei muito receosa por não saber se estávamos no caminho certo, pois, por anos vínhamos procurando por ajuda e tudo o que estávamos fazendo surtia um efeito muito pequeno diante das tantas dificuldades do Gabriel.

Primeiros meses: melhora na leitura e escrita, sem dores de cabeça e sem reclamações na hora da lição, mas o emocional dele estava oscilando bastante. Sua autoestima estava ainda muito abalada e com muita paciência, esforço e dedicação fomos conseguindo “tocar” a vida. Continuava com a medicação e os devidos tratamentos de fonoaudióloga, psicóloga, neura educadora e apoio da escola tanto da professora como da coordenação.
O ano letivo terminou com as notas muito boas (a menor foi 7,5) e notamos que ele estava mais alegre e interagindo muito mais com os amigos e familiares, pois durante os anos anteriores ele foi se isolando do mundo. A fala havia melhorado também.

A cada novo dia, percebíamos que a alegria dele não era passageira e aos poucos ele começou a recuperar sua autoestima. O ano letivo iniciou e na primeira semana decidi não manda-lo medicado, e para minha surpresa ele está sem a medicação desde então e muito bem. Interagindo com os amigos, participando das aulas e principalmente muito confiante e irritantemente feliz.

A fala está melhorando a cada dia e percebemos que com o uso dos óculos o cérebro foi se “modificando” e hoje podemos dizer que ele é outra criança. Está fazendo as lições quase todas sozinho.

Conversando ele me disse que os óculos o ajudaram muito. Meu marido também foi diagnosticado e está à espera dos óculos dele, aliás, a história dele renderia um livro, mas deixo para contar depois.

Bom para finalizar quero agradecer a Drª. Marcia Guimarães, Dr. Ricardo Guimarães, a Norma Volpi e a todos que estão tratando e divulgando a Síndrome de Irlen, pois estão mudando muitas vidas para melhor. Gratidão eterna!!!!

Convido vocês a ver também meus outros dois depoimentos:

A história de Gabriel

Humberto e a descoberta da Síndrome de Irlen aos 51 anos

Anúncios