Rejane – a descoberta da síndrome de Irlen em Thainá aos 19 anos

Meu nome é Rejane sou mãe de Thainá e foi graças ao diagnóstico de Guilherme, filho de Juliana (com depoimento neste blog https://irlen.blog/juliana-a-historia-de-guilherme/) que pude chegar ao diagnóstico correto de minha filha, hoje (ano de 2017) com 19 anos.

IMG_4276Trabalho com a mãe da Juliana que compartilhou comigo sobre as dificuldades escolares do neto e como chegou ao diagnóstico. Minha filha sempre apresentou muitas dificuldades  e o rendimento escolar baixo  e desde então corríamos com ela passando por vários profissionais: neurologistas, psicólogas, psicopedagogas, fonoaudiólogas, oftalmologistas e nunca foi cogitado a Irlen.

Quando minha amiga me falou do neto e da Síndrome, fui pesquisar na Internet e fiquei preocupada porque  minha filha apresentava  muitos dos sintomas. Foi então que em janeiro deste ano de 2017 procurei o Centro Integrado Crescer e realizamos a avaliação e o resultado deu Irlen associado com dislexia.

Hoje a Tainah faz acompanhamento psicopedagógico com a Elizabeth Bacini e está até tomando o gosto pela leitura. Pode – se dizer que minha filha passou pela escola terminando o Ensino Médio.  Às vezes  me sinto incapacitada por ter feito tanto e visto pouquíssimo resultado, não é mesmo?! Mas creio que nunca é tarde, ela ainda tem muito chão pela frente. Trabalhando com as defasagens vai ter o momento que despertará para continuar seus estudos. É o que eu Rejane espero como mãe.

Anúncios